Em um relacionamento sério com a segunda-feira

Relógio marcando 6 horas. Deitada na cama, abro um dos olhos e vejo o pequeno em pé na minha frente. Ele sobe, eu levanto para fazer o leite. Toma leite, deitamos os dois de novo. Vira pra lá, pra cá… nós dois tentando dormir sem sucesso e de tabela acordamos o pai. “Levanta, vamos brincar na sala”. Daí a um pouquinho a pequena acorda no quarto. Mais brincadeiras.

Arruma a mochila, banhos em nós quatro, administra as brigas e as vontades que mais parecem de adolescentes. Pés na rua. Enfia tudo e todos no carro, trânsito, choro, risadas, música alta. Brincadeiras, comida. Comida na roupa – nas deles e na minha – troca fralda de uma, leva o outro pra fazer cocô no banheiro do restaurante.

Parquinho, brincadeiras, machucados, choros, beijos, parquinho, brinquedos. Enfia tudo e todos no carro, desembarca em casa. Brinquedos, “não-quero-dormir”, choros, jantares. Sujeira, vassoura no chão, brinquedos, televisão, band-aid naquele machucadinho de mais cedo, beijos, mimos, amassos.

Sono de uma, agitação do outro, cansaço dos quatro. Leite pros dois, pijamas, escovas de dentes. “Não quero dormir”. Não quero dormir e ponto. “Não vou dormir”. Acalma, negocia, acalma. Cama. Camas.

Pena, domingo de noite. Ufa, domingo de noite.
Ufa, segunda-feira. Pena, segunda-feira.

Featured image

Anúncios

Galinha News

Todo mundo tem uma mania, a minha é analisar letras de música e achar operações matemáticas em placas de carros. Ouvindo repetidamente a nossa musa/diva/salvadora Galinha Pintadinha, pensei em transformar o DVD num telejornal. Seria assim: Boa noite! A Galinha Pintadinha, recordista de vendas de DVDs no Brasil ficou doente e o marido, o galo Carijó, deixou de prestar atendimento. A galinha foi salva porque os filhos do casal conseguiram chamar o socorro.

Um grupo de caveiras chamou a atenção nessa quinta-feira ao sair da tumba à uma hora da manhã. Ainda de madrugada, pintaram as unhas, tiraram retrato e imitaram chinês. Ao longo do dia, tocaram o terror na cidade – mas era tudo uma ação de marketing para o lançamento de um filme. Às doze, as caveiras fizeram pose no tapete vermelho.

Featured imageUm fazendeiro chamado Seu Lobato foi detido essa manhã por causa do barulho dos animais do seu sítio. Era po-po-pó e au-au-au para todo lado e a confusão irritou os vizinhos. Ele foi liberado após pagar fiança no valor de uma vaquinha.Um caso de incitação de violência foi flagrado enquanto uma morena dizia como se namora. Sambalelê, um jovem morador da Praia Formosa, estava seriamente machucado na cabeça quando populares quiseram lhe dar umas boas lambadas. Foi socorrido pela vizinha.

A seca deixou o Tororó em situação de emergência. Quem foi ao local procurar água não achou, encontrou apenas uma morena da prefeitura orientando os moradores a esperar pelo carro-pipa do Joãozinho. Pai Francisco, conhecido pelo seu requebrado desengonçado, foi levado para a prisão pelo seu delegado. Chico estava dançando na festa de São João quando foi detido. Na hora em que foi algemado pediu que lhe tirassem tudo, menos o violão.

Featured imageDenúncia de falta de infraestrutura no condomínio da Galinha. Os compradores alegam ter ido morar em casas infestadas de cupim e morcegos, com lagartixas abusadas que fazem caretas apesar do habite-se ter sido liberado pela prefeitura. E para encerrar, uma boa notícia! Depois de brigar embaixo de uma sacada, os atores Cravo e Rosa reataram o noivado! A data do casamento foi marcada para o fim do ano depois que Rosa terminar as filmagens de um longa-metragem dirigido por Guel Arraes. Cravo estaria sendo cotado para substituir Tony Ramos na próxima novela das nove.

(Tudo aqui é uma brincadeira!! Nenhum personagem é real. Adivinhem as músicas!)

Aprenda a ser mãe em três dias ou seu dinheiro de volta

Hoje eu vi na internet um ensaio fotográfico de crianças supostamente assistindo televisão. Mostrava a cara delas apenas. Se fosse uma revista, pegava aquela página, rasgava e amassava. Faria uma bela cesta num lixo.
Me cansei de ler manuais para ser mãe.

Featured image
10 coisas que você precisa saber antes de ter um filho.

10 itens obrigatórios no quarto das suas crianças.

Ensinamentos para que seu filho se torne um gênio.

Saiba os motivos para a birra do seu filho e acabe com elas.

57 vezes que você poderia ter evitado aquele escândalo no supermercado, mas fez tudo errado e passou vexame.

Não pode assistir mais que 2 horas de televisão por dia. Tablet, 20 minutinhos diários. Senão…

… vai saber!?! Quem sabe do meu filho sou eu. Quem sabe quantas horas a minha filha vai brincar de boneca, vai assistir televisão, ou vai ler Shakespeare sou eu. Cansei de me sentir culpada por estar fora de uma regra inventada por um fulaninho, que quer definir minha vida e a dos meus filhos. Fico imaginando quem teve a ideia genial: “ah, vamos mostrar a cara das crianças quando assistem televisão, para deixar as mães preocupadas e chocadas e proibirem os filhos de ficar na frente da tela?!”

Esse fulaninho sabe quantas fucking horas eu e o pai deles trabalhamos por dia? Ele sabe que é um alívio, sim, ligar a Galinha Pintadinha ou o bebê Mais de vez em quando pra gente descansar? E que Pac Man no iPad é um jeito de ocupar as crianças quando estamos arrumando a vida pra sair de casa? E se eu disser a ele que nós não vemos nada de errado em dar um pouco de chocolate para as crianças?

Ele sabe que a gente ama dormir com nossos filhos na nossa cama e está pouco importando com o que vai acontecer quando eles se acostumarem com esse carinho? Ele sabe que eu tenho o meu próprio jeito de acalmar meus filhos no shopping, mercado ou sozinha com eles em casa? Nossa, se ele soubesse o quanto lá em casa fugimos das regras dele…

Desculpa, fulaninho, isso é a vida real. Uma vida cheia de imprevistos (acabei de ouvir meu filho fazendo xixi. Na cama. Na minha cama) cheia de tarefas (hoje o pai das crianças chegará depois de meia-noite do escritório) e de diversão (eu e meu filho passamos o fim da tarde fugindo e driblando de um bicho voador na sala). Coisas que você, fazedor de regras, nem deve ter vivido, com suas definições de como a vida deve seguir no padrão da conformidade.

Imagino que tipo de cidadão será formado em uma casa que segue todas as definições de boa vivência definidas pelos fulaninhos da Internet, ou produtores de ensaios fotográficos de crianças assistindo televisões, ou grupos de mães xiitas do Facebook, ou esses “blogs de maternidade”…

Me dá um abraço?

  

Não estou só amamentando e trocando fraldas nessa licença maternidade. Não trabalhar tem me permitido, além de cuidar do bebê, presenciar o crescimento do meu filho de dois anos. Uma fase tão importante na vida de uma criança que, se eu soubesse, tinha planejado exatamente esse período para estar de licença em casa. 

Bernardo passou das palavras soltas para frases lógicas num piscar de olhos. Cada vez mais ele se faz entender. Consegue se comunicar, expressar seus sentimentos e suas vontades. Que não são poucas. 

É verdade que às vezes a gente não entende nada do que ele diz. Mas ele repete exatamente as mesmas palavras pra mostrar que sabe bem o que está falando. E fica meio irritado quando não compreendemos. 

Mas tem uma frase curtinha (e uma vontade frequente) que é bem fácil de entender…

Busco Bernardo na creche. Na saída, um amiguinho passa por ele e ele diz: me dá um abraço? O amigo passa direto. A avó diz que o menino está chateado porque a mãe foi não buscá-lo. Aí vem outro amigo, e Bernardo manda de novo: me dá um abraço? E o amiguinho vai direto pros braços da mãe. Meu coração partido aperta meu filho e eu lhe digo: eu amo o seu abraço. Ele sorri pra mim. E abraça o meu pescoço. 

Outro dia a babá chegou de manhã e ele disse “bom dia”. Desceu da minha cama e abriu-lhe os braços. Era segunda-feira. E começamos a semana com um sorriso nos olhos. 

Quando o pai chega do trabalho e o Bernardo o abraça, ele me chama: “todo mundo!” “Todo mundo no abraço!” É a coisa mais meiga e mais cheia de significado que já vi na vida. 

Como toda criança de dois anos, Bernardo bate e faz birra. Mas na maior parte do tempo é carinhoso. (Até com o irmão que acaba de chegar!) Ele quer dar carinho, mas também quer receber. Quem não quer? 

É por isso que me chamou atenção as crianças que negam um abraço. Crianças são sinceras. Se não querem abraçar, não abraçam e pronto. Os adultos não negam abraço, mas abraçam mesmo sem querer. Não sei o que é pior. 

Tenho vontade de abraçar meu filho o dia inteiro. Tanto que possa suprir todos os abraços que lhe negarem ao longo do dia. E os abraços falsos ao longo da vida. 

Se pudesse, impediria todos os abraços negados e os abraços falsos da vida dele. E estaria sempre por perto para não deixar sua pergunta sem resposta. 

Me dá um abraço? 

Viajando com o bebê

Senhores passageiros, bebê a bordo, vamos decolar!

  

Chegou a hora do Pedrinho ganhar os céus para conhecer as bisavós no Sul. Muita emoção pela frente e muito trabalho também!
Dá preguiça só de pensar no tanto de coisas que precisamos levar. Vou dar apenas um exemplo: 160 fraldas. Agora pense no carrinho,bebê conforto, produtos de higiene, tapete de atividades… E o frio. Saímos do Rio de Janeiro com quase 30ºC e viemos pra casa da minha mãe no Rio Grande do Sul e está 10ºC!
A parte boa foi que papai veio de carro e trouxe tudo, então facilitou muito. 
Eu e Pedrinho viemos de avião. Muito ansiosa, recrutei minha sogra pra ir ao aeroporto conosco: anotem essa dica porque vc vai precisar fazer xixi antes do vôo e não tem como fazer se estiver só vc e o bebê. Ela ficou comigo até o último minuto antes de entrarmos na sala de embarque. Depois dali, ficou tudo mais complicado. Com duas bolsas, a minha e a dele, fui comprar uma água e quase dei 50 reais e ia deixar o troco de tão atrapalhada que estava. Comprei um chocolate pra me acalmar. Só não pensei com que mão eu ia abrir a embalagem… 
Como a companhia aérea não passou as informações com clareza pelo telefone, preferi ficar sem o carrinho (mandei pelo marido). Descobri, já dentro do avião, que eu poderia ter ido até a porta da aeronave com o carrinho e ali ele seria despachado. Aprendi pra próxima!
Outra dica: comprei a poltrona “espaço mais”, porque não existe mais isso de colocarem quem está com bebê na primeira fila. Foram os 40 reais mais bem gastos da viagem! O bebê vai solto no seu colo, a princípio achei uma bizarrice, mas paciência. 
Na decolagem, mamadeira a postos para evitar a pressão no ouvidinho do pequeno! Durante o voo, Pedrinho dormiu um pouco e quase não chorou. Sinal de que meu terço de Nossa Senhora Aparecida na bolsa fez efeito, porque isso não tem como planejar, é obra do divino mesmo!