Feliz Ano Novo! 

Saudade do futuro. Um termo que minha mãe inventou pra dar nome ao sentimento desesperado de ansiedade que eu tenho “de quando em sempre”. Achei que essa bomba-relógio ia desarmar quando eu tivesse filho, que eu ia achar meu lugar no mundo e seria mais serena. Mas a maternidade só piorou isso.

Falei de futuro, mas quero mesmo é falar de passado para vocês entenderem por que as mães precisam se dar um tempo. Apenas repetindo um conselho que escutei, ignorei e hoje quero dizer que foi o melhor que me deram: se dê tempo.

Voltei ao trabalho há um ano. Fiz de conta que estava tudo super bem e além que querer voltar ao trabalho, eu queria ficar magra e  mostrar que eu estava voltando com tudo. Cogitei seriamente fazer um MBA. 

Ok, vocês precisam de uma pausa pra rir de mim. Eu também.

hahahahahahaha

Claro que veio o mundo real e me deu um belo “se liga”.

Cheguei ao trabalho e tudo tinha mudado, até minha mesa estava ocupada. Botei um sorriso no rosto e disse que eu ia resolver tudo. Um dia depois de voltar, fiquei doente, uma crise bizarra de sinusite que me deixou de cama com febre. Dois dias depois, fui viajar a trabalho botando a maior banca que eu era f*** e conseguia deixar meu filho e viajar a trabalho mesmo me recuperando de uma infecção. 

Hoje é óbvio que eu só queria uma salva de palmas. Mas eu estava desorientada, reclamando de trabalhar pouco (quem, em sã consciência, com um bebê de 6 meses, reclama disso?!?) e a ansiedade me pegou de jeito. Comecei a engordar e pirei. Sensação de que estava botando tudo a perder e precisava agir. Sim, foi neste momento que um amiga querida e sábia disse pra eu me dar um tempo e voltar com calma. Quem dera eu a tivesse ouvido. 

Surgiu a oportunidade de ir pra um novo projeto que ia tirar todas as minhas forças, ou melhor, as forças que restavam de alguém que tinha parido há meio ano!!! Nunca trabalhei tanto. A rotina puxada e o trânsito – que com essa mudança passou a ser muito mais duro, me colocaram no meu papel preferido: a coitada que se mata no trabalho. Vejam bem: fui parar lá porque quis e porque estava reclamando que trabalhava pouco! 

Pausa para Adele gritar from the outside: Hello!!!!

Enfim, coroei tudo isso com uma dieta dificílima e as crises de ansiedade vieram com tudo. Vejam que nem falei do meu filho porque a criança estava se comportando muito bem. Eu que não estava.

Procurei ajuda e pisei no freio. 

Amadureci muito ao aceitar que não sou a capa de revista que fica magra e linda com um bebê de meio ano. Nem com um bebê de um ano e ainda longe disso com o bebê de um ano e meio.

Aliás, aceitei que não dou conta de um monte de coisas.

No trabalho, voltei a viver uma excelente fase. Ao meu redor, algumas mudanças que eram mesmo questão de tempo aconteceram, bastava esperar. Sigo no mesmo projeto, feliz e contente, e resolvi o problema do trânsito mudando de endereço. Leiam isso como “tudo na vida tem jeito”. Na verdade, o que precisava de jeito era o meu jeito de lidar com a verdade.

Então, se eu puder falar pra você algo que pode te ajudar, é simples: volte ao trabalho e se dê um ano. Anotou? Um ano. 365 dias. Seja amorosa com você. Comemore essa data! Não seja uma coitada que vive com saudade do futuro. Deixe o futuro chegar e sinta saudade dos momentos que você viveu de verdade com seu pequeno.

Tim-tim!

Anúncios