Só mais um mimimi materno…

A independência dos filhos é um tapa na cara das mães. Em qualquer idade, ao menor sinal de (mais) desapego, a gente já fica que nem aquelas partículas magnéticas de experiência escolar, super agitadas.

20150901-dinheirama-criancas-570x368

Meu filho veio com uma novidade há umas três semanas. Fomos no cinema, Trolls. Divertido e musical. E foi aí que ela veio. Lá no meio do filme, o personagem começa a cantar uma música. (descobri depois que é do Justin Timberlake, e quase contei pra ele o passado desse moço… n’sync, lembram?)

Meu filho cantou a música no filme. E continuou cantarolando depois do filme. Baixei o álbum com a trilha e ele conhecia várias. Me contou que escuta todo dia na van. Não só escuta como gosta. Adora!!

Aqui a música e o clipe, que é uma gracinha também.

Aliás, “a van” já tinha sido o primeiro tapa na minha cara. O primeiro dia que ele estava num lugar longe de mim e eu não tinha ideia do que estava fazendo e nem onde exatamente estava (diferente de quando ele tá na escola, em que sei onde e com quem ele fica). Ficar perambulando pela cidade de van não é uma ideia que me agrada muito. Mas enfim, ele se amarrou, fez amigos e eu aprendi a confiar mais nas meninas responsáveis por ele nesse período.

Daí o outro tapa: ele gosta de musicas que não fui eu que mostrei. Que não foi ninguém da minha família ou círculos de amigos nossos. Ele tem o próprio gosto musical. E aprende a cantar as músicas que gosta. E pede pra ouvir. E me apresenta as músicas – eu nunca tinha escutado essa música!!! E agora eu adoro ela!!

Olha, passei tranquilamente pelas noites mal dormidas. Pelas fraldas de coco, por vômitos em cima de mim, por ataques de birra em público, por plantão em hospital segurando o braço da criança pra tomar injeção; por tudo de bom e ruim da maternidade. Tranquilamente mesmo: com preocupação, mas consciente de que tudo aquilo passaria.

Mas a independência…  essa não passa e, muito pelo contrário, só aumenta. E muito pelo contrário mais ainda, meu papel é justamente deixar rolar, incentivar, e parar com esse mimimi de mãe apegada. E olha que nem comecei a falar das paixonites…

Ontem ele me pediu pra escutar Anitta. 😛

Anúncios